2013, ano do branco

Sabe qual a cor mais procurada de 2013? O branco.

Cerca de 29% dos compradores de carros novos preferiu a cor. A informação é de uma pesquisa feita por uma das maiores empresas fornecedoras de pinturas automotivas, a Axalta Coating Systems.

Na América do Sul, o branco foi a preferida pela primeira vez desde 2001, com os mesmos 29% do índice geral. Na segunda posição, veio a cor prata, com 25%. O vermelho teve 9% da preferência, seguido do marrom (6%), azul (4%) e verde (2%).

Fonte
Terra

Todo dia

Aposta sustentável da Toyota chega em 2015

A aposta da Toyota para a sustentabilidade não é carro nem elétrico, híbrido, ou solar. O modelo FCV utiliza hidrogênio e chegará em 2015, segundo anúncio da montadora.

O carro tem autonomia de, no mínimo, 500 km, e é reabastecido em cerca de três minutos, aproximadamente o mesmo tempo gasto por um veículo movido à gasolina.

Composto por bateria, motor e dois tanques de hidrogênio de alta pressão (70MPa), o FCV faz do hidrogênio a energia para o motor. Ao final do processo, o caro libera somente água como emissão.

Inspirado na reação que transforma o ar em água, o automóvel tem duas entradas acentuadas que simbolizam o ar. As linhas laterais lembram o movimento da água.

Fonte
Exame 

Eco

Cuidado com pneu largo

Sim, pneus largos deixam o carro mais bonito. Mas nem todos sabem que a vontade por deixá-lo personalizado pode piorar o desempenho na hora de dirigir.

A tendência é que quanto maior a largura, maior seja a estabilidade do carro na estrada. Isso porque o atrito do automóvel com o chão é cresce quando se utiliza pneus largos. Mas fique atento, pois quanto mais largo, mais pesado é o pneu, o que precisa ser levado em consideração quando usado em carros com motores menos potentes, por exemplo.

O especialista técnico da Cantu Pneus Diego Paludo conta que a medida ideal para os pneus tem relação direta com as características técnicas do automóvel. “Se você fizer uma curva em um carro ‘modelo popular’ que estiver com pneus mais largos, pode ser que ele perca estabilidade devido ao excesso de aderência dos pneus ao solo não ser compatível com a suspensão do veículo, que pode acarretar em perda de contato dos pneus, e até capotamento”, cita Diego.

Segundo ele, isso acontece porque “pneus mais largos têm compostos de borracha mais aderentes direcionados a veículos esportivos, além do aumento de consumo do combustível, e perda do desempenho do motor", completa.

Assim, a beleza pode custar caro ou até a vida. O recomendado, de acordo com o técnico, é “escolher as medidas do pneu sempre acompanhado de um especialista”. Algumas montadoras recomendam mais de uma medida para o mesmo carro, mas isso precisa ser consultado no manual do proprietário ou por alguém especializado.

Nesse link você confere como fazer o cálculo de compatibilidade para saber a largura ideal para o seu carro.

Veja três carros que costumam ser personalizados com uso de pneus mais largos e suas larguras recomendadas.

Espaço Cantu

O sucessor do Gallardo

O esportivo que teve o maior volume de vendas da Lamborghini tem um sucessor. A empresa anunciou nesta sexta-feira (20), o Huracán LP 610-4.

Com motor V10 de 610 cavalos, essa máquina possibilita atingir 325 km/h e fazer de 0 a 100 km/h em 3,2 segundos. Concebido do zero, o nome vem do touro espanhol que lutou em Alicante, em agosto de 1879, se tornando uma lenda. No português, Huracán significa "furacão".

O carro será apresentado ao mundo no Salão de Genebra, em março 2014.

Fonte
G1 

Sport

BMW terá fábrica em SC

A alemã BMW vai fabricar em terras catarinenses. A montadora terá sua primeira fábrica na América Latina em Araquari, no norte do Estado. A cerimônia de lançamento aconteceu na manhã desta segunda (16).

Cinco modelos da marca serão produzidos nas futuras instalações. A previsão é de que sejam fabricados 32 mil automóveis por ano, a partir de outubro de 2014.

Modelos

Serão produzidos os modelos Série 1, Série 3, X1, X3 e Mini Cooper Countryman. Confira.

Fonte
Diário Catarinense 

Espaço Cantu

Elementos do pneu

A aparência, a cor e o cheiro são de borracha. Mas nem todo mundo sabe quais são os elementos que compõem o pneu.

A combinação é perfeita. São quase 200 componentes diferentes unidos através de processos de alta tecnologia.

Borracha natural, borracha sintética, derivados de petróleo como o negro de fumo, cabos de aço, cordonéis de aço ou náilon, produtos químicos como enxofre são alguns que dão origem ao pneu.

Os diversos elementos do pneu podem dividir-se em cinco grupos:

  • Borracha natural: é o principal componente da banda de rolamento dos pneus.
  • Borracha sintética: é elemento essencial na escultura dos pneus para carros, veículos comerciais e 4x4.
  • Preto de carbono e sílica: são usados para reforçar o pneu e melhorar as suas propriedades de durabilidade.
  • Filamentos metálicos e têxteis: constituem o esqueleto do pneu e garantem sua geometria e rigidez.

Cada componente confere ao pneu uma característica diferente, como segurança, melhor adaptação ao solo a que rodar, dentre outras.

Espaço Cantu

Atenção na viagem

Uma das épocas mais esperadas está chegando: as festas de fim de ano. Logo depois, as férias. E quem não pensa em viajar entre dezembro e fevereiro, aproveitar o verão e o tempo livre?

E é muito importante que os motoristas estejam com o carro em dia, para garantir total segurança. O ideal é realizar uma revisão completa regularmente em todo o automóvel.

Confira alguns itens para revisar no carro antes de colocar o pé na estrada.

Pneus

Certamente um dos itens mais importantes do carro. O pneu pode influenciar na suspensão, transmissão, tração, direção e frenagem, caso não esteja em perfeitas condições.

  • Conferir a pressão dos pneus ao menos uma vez por semana é o indicado pela maior parte das montadoras. 

  • A calibragem deve ser feita nos cinco pneus, inclusive no estepe. 

  • Fazer o rodízio de pneus. Veículos com pneus radiais a cada oito mil quilômetros rodados e veículos com pneus diagonais a cada cinco mil quilômetros.

  • Observar periodicamente o indicador de desgaste da rodagem (TWI). Este indicador, existente em todo pneu, mostra o momento certo para se efetuar a troca, reduzindo o risco de rodar com o pneu careca. O limite de profundidade do sulco do pneu é de 1,6 milímetros.

  • Verifique o amortecedor. Isso pode evitar o desgaste irregular dos pneus.

Bateria

Não é preciso trocar a bateria do carro a cada seis meses. Em grande parte das vezes, apenas uma carga de longa duração resolve problemas, o que garante economia. Antes de viajar consulte um profissional e faça um teste de bateria.

Freios

Uma preciosa dica que muitos deixam passar: verificar o painel do veículo. O sistema de freio possui uma luz de anomalia. Se ela estiver acesa, normalmente na cor vermelha, é porque há algum problema. Pode ser defeito em alguma peça ou falta do fluido de freio. Vibração no volante ou barulhos quando o freio for acionado podem ser sinais de que o sistema possui algum problema.

Palhetas

Verifique as condições das palhetas do limpador de para-brisa. Durante uma chuva forte a visibilidade pode ser prejudicada caso não estejam em perfeito estado.

Família

Carros conectados

A regra é estar conectado. E isso vale também para os carros: todos os automóveis fabricados a partir de 2025 terão alguma conectividade. A previsão é da GSM Association, grupo que reúne operadores e fabricantes da telefonia móvel.

Além de internet sem fio, os carros podem se conectar com smartphones e tablets para reprodução de música ou vídeo, têm entradas USB, auxiliar, RCA (para áudio/vídeo) e Bluetooth.
Segundo a GSM, daqui a cinco anos, o mercado de carros conectados movimentará até 40 bilhões de dólares. Em 2012, foram contabilizados 13 bilhões.
 
Como benefício, os motoristas terão uma gama de serviços móveis disponíveis, como na segurança, entretenimento e informação gerais.
 
No Brasil, o primeiro carro com internet sem fio foi o Chevrolet Agile, lançado em 2011.

Fonte

Todo dia

10 mulheres poderosas

E quem disse que elas não estão no poder?

A revista norte-americana Fortune criou uma lista com as 10 mulheres mais poderosas da indústria automobilística.

No topo do ranking está Mary Barra, vice-presidente executiva global de Desenvolvimento de Produtos, Compras e Suprimentos da General Motors.

Confira

1ª. Mary Barra - GM, vice-presidente executiva global de desenvolvimento de produtos, compras e de fornecimento 

2ª. Grace Lieblein - GM, vice-presidente global de compra e fornecimento 
3ª. Julie Hamp - Diretora de comunicação da Toyota North America 

4ª. Danica Patrick - piloto de corrida 
5ª. Alicia Boler-Davis - GM, vice-presidente sênior global de qualidade e experiência com clientes 

6ª. Barb Samardzich - Ford, vice-presidente e diretora de operações da Ford Europa 
7ª. Chris Barman - Chrysler Group LLC, executiva de linha de veículos 

8ª. Linda Hasenfratz - Linamar, CEO 
9ª. Trudy Hardy - BMW da América do Norte, vice-presidente de marketing 

10ª. Elena Ford - Ford, vice-presidente global de revendedores e experiência com o consumidor




Fonte
Fortune

Elas

Pneus viram brinquedos

Um bom exemplo de que descartar da forma correta é a melhor opção. Próximo à Curitiba, no Paraná, alunos transformam pneus velhos e inservíveis* em floreiras, porta-canetas, pufes, poltronas e até pula-pula, através de um projeto de reciclagem.

Palco de toda a ação, o Colégio Estadual Professora Ana Maria Vernick Kava incentiva os alunos a darem o correto destino aos pneus. O projeto foi desenvolvido pelo secretário da escola Clayton Norberto. Segundo ele, os alunos começam desde cedo a ter noções de “sustentabilidade e de práticas de respeito com o meio ambiente”. Para o professor, projetos como esse não só dão destino correto aos pneus, mas contribuem para diminuir casos de dengue, pois quando descartados de forma errada, o pneus acabam se tornando criadouros do mosquito.

Saiba como o pneu pode ser reutilizado

Além de objetos como os que a escola produz, o pneu inservível pode ser reutilizado para:

  • Laminação: confecção de tiras para sofá, solados, tubos, etc;
  • Asfalto: em fragmentos ou pó juntamente com o asfalto para o revestimento de ruas e estradas;
  • Matéria-prima para concreto: a borracha picada é utilizada juntamente com o concreto em substituição a brita, na produção de pré-moldados, blocos, pisos, guias, etc;
  • Combustível: a borracha picada é enviada às cimenteiras licenciadas, pelos órgãos ambientais Estaduais, para serem utilizados como combustível alternativo;
  • Artefatos de borracha: através de processos de manufatura, podem ser utilizados em tapetes, rodas maciças, pisos e outros derivados.

*Pneu inservível: pneu que não serve mais à utilização comercial por conter danos irreparáveis.


Fonte
Agência de Notícias do Paraná 

Eco

Página 1 de 8

<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 Próximo > Fim >>